e

pass

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Simulado 5º ano português- 1º bimestre


Questão 1

 

Eu só quero um xodó

                                                                Anastácia e Dominguinhos 

Que falta eu sinto de um bem

Que falta me faz um xodó

Mas como eu não tenho ninguém

Eu levo a vida assim tão só!

Eu só quero um amor

Que acalme o meu sofrer

Um xodó pra mim,

Do meu jeito assim,

Que alegre o meu sofrer. 

Anastácia e Dominguinhos. In: CANSADO, Beth (org.). Aquarela brasileira, Brasília: Corte, 1994.

O uso da palavra xodó no título: “Eu só quero um xodó” indica que há o desejo de 

(A) mudar o jeito de ser.

(B) encontrar um amor.

(C) continuar a sofrer.

(D) ficar só.

 

Questão 2

Você sabia?

▪ Existem sete espécies de tartarugas marinhas e cinco delas são encontradas no Brasil. A maior parte vive em regiões de clima quente, pois depende do calor externo para equilibrar a temperatura do corpo.

▪ Só as fêmeas saem da água para colocar seus ovos na areia.

▪ As tartaruguinhas, ao nascer, saem dos ovos, escavam até chegar a superfície da areia e correm em direção ao mar.

▪ As tartarugas-de-couro são as maiores: elas alcançam até 800 kg e 1,80m.

Revista Recreio. São Paulo: Abril, ano 7, n. 358, 18 jan. 2007.

 

 

 

O texto “Você sabia?” traz informações sobre

(A) regiões de clima quente.

(B) temperatura do corpo. 

(C) tartarugas marinhas.

(D) superfície da areia.

 

QUESTÃO 3

Um alarme bom pra cachorro

Uma cachorra vira-lata evitou a fuga de 118 presos de uma delegacia em São Paulo. A cachorra, que atende pelo nome de Xuxa, é  o bicho de estimação dos policiais da delegacia. Quando viu um preso tentando escapar por um buraco, Xuxa começou a latir e a morder os braços do preso fujão. O barulho da cadela chamou a atenção dos policiais, que foram ver o que estava acontecendo. Resultado: Xuxa evitou a fuga dos presos e se tornou a heroína da delegacia. A fuga estava sendo planejada pelos presos há um mês. Eles cavaram um túnel que saía da cela e ia até o lado de fora da delegacia.

Revista Zá. São Paulo: Pinus, ano 3, n. 23, jul. 1998.

 

No trecho “Quando viu um preso tentando escapar por um buraco, Xuxa começou a latir e a morder os braços do preso fujão.”, a consequência da ação de Xuxa foi virar

(A) a heroína da delegacia.

(B) a fugitiva do presídio.

(C) a companheira dos presos.

(D) o bicho de estimação dos policiais.

 

 

Questão 4

 

 

 

 

 

Caixa de texto: Belo Horizonte, 19 de maio de 2008. 
Dona Marília 
Como vão a senhora e o seu Paulo? 
Estou com muitas saudades. 
Quero agradecer pelo carinho e pela hospedagem. Foi muito bom conviver com sua família. Com o curso que fiz aí já arrumei um emprego no escritório do Seu João. O salário não é muito, mas para começar está bom. 
Aqui estão todos bem. Dona Júlia manda lembranças. 
Um abraço a todos e um beijo grande para a senhora.
Rejane

Esta carta foi escrita por

(A) Rejane.

(B) seu Paulo.

(C) Dona Júlia 

(D) Dona Marília

 

 

A casa

 Vinícius de Moraes

Era uma casa

Muito engraçada

Não tinha teto 

Não tinha nada

Ninguém podia 

Entrar nela não

Porque na casa

Não tinha chão

Ninguém podia

Dormir na rede

Porque na casa

Não tinha parede

Ninguém podia

Fazer pipi

Porque penico

Não tinha ali

Mas era feita

Com muito esmero

Na rua dos Bobos

Número zero.

 

 

MORAES, Vinicius de.  Nova antologia poética. Sel. e org. Antônio Cícero e Eucanãa Ferraz. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

Nos versos: “Ninguém podia / Entrar nela não”, o termo destacado refere-se à

(A) casa.

(B) rede.

(C) parede.

(D) rua dos Bobos.
 
QUESTÃO 5

O velho, o menino e o burro

                                  La Fontaine

 

Um velho e um menino seguiam pela estrada montados  num burro. Pelo caminho, as pessoas com as quais cruzavam diziam:

─ Que crueldade a desses dois! Querem matar o burro!

O velho, impressionadíssimo com os comentários, mandou o menino descer.

Mais adiante, outras pessoas, observando a cena, diziam:

─ Que velho malvado, refestelado no burro, e o menino, coitado, andando a pé!

O velho, então, desceu do burro e mandou o menino montar. Daí a pouco, outras pessoas, vendo a cena, comentaram:

─ Onde já se viu coisa igual? Um menino cheio de vida, montado no burro, e o velho a caminhar pela estrada!

Depois dessa, o velho não teve dúvidas. Mandou o menino descer e ambos, com esforço, passaram a carregar o burro. 

Está claro que os comentários não se fizeram demorar, e desta vez seguidos de gargalhadas. Evidentemente, todo o mundo estranhava os dois carregarem o burro.

O trecho que revela a opinião das pessoas, ao verem a cena do velho, do menino e do burro é:

 

(A) “Pelo caminho, as pessoas com as quais cruzavam diziam:” 

(B) “O velho então desceu do burro e mandou o menino montar.”

(C) “Evidentemente, todo o mundo estranhava os dois carregarem o burro.”

(D) “─ Que velho malvado, refestelado no burro, e o menino, coitado, andando a pé!”     

 

QUESTÃO 6

Bombom delicioso

Ingredientes

1 lata de leite em pó

1 lata de chocolate em pó (mesma quantidade do leite em pó)

1 lata de leite condensado

Modo de fazer

Misture o leite em pó com o chocolate.

Coloque aos poucos o leite condensado, misturando bem.

Deixe descansar por 20 minutos.

Depois faça bolinhas com a massa, coloque em forminhas impermeáveis ou embrulhe em papel celofane.

Folheto Publicitário O texto acima é

(A) uma notícia de jornal. 

(B) uma receita de doce. 

(C) uma carta de amor.

(D) um conto de fadas.

 

QUESTÃO 7

Layla

                                                                                                                 Mariana Oliva de Oliveira

 

Tenho uma gatinha branca com manchas pretas, olhos  amarelados e nariz cor-de-rosa chamada Layla.

Numa tarde, estava fazendo a lição de casa e fui pegar uma borracha na gaveta de material. Como minha gata é muito rápida, ela entrou na gaveta e, como não a vi entrar lá, fechei a gaveta.

Quando minha mãe chegou do trabalho, não viu a Layla. Eu, meu irmão e meus pais começamos a procurar a Layla pela casa inteira. E não a achamos.

Então, eu pedi “São Longuinho, São Longuinho, me ajude achar a Layla que eu dou 300 pulinhos.”

Mas não achamos a Layla. Subi as escadas e fui chorar no meu quarto. E ouvi um miado bem fraco. Abri a gaveta de material, e lá estava ela. Mas estava entalada!

Meu pai a tirou de lá com muito cuidado. Peguei a Layla no colo e comecei a pular. Claro que iria demorar para dar 300 pulinhos, mas promessa é dívida.

OLIVEIRA, Mariana Oliva de. Esconderijo para gatos. Folha de São Paulo, suplemento infantil

Folhinha, 7 out. 2006.

O trecho do texto que expressa o motivo pelo qual Layla foi encontrada é

(A) “Quando minha mãe chegou do trabalho, não viu a Layla.”

(B) ”... e fui pegar uma borracha na gaveta de material.”

(C) “E ouvi um miado bem fraco”

(D) “E não a achamos.”

4 comentários :

Postar um comentário

shoptime

shoptime

shoptime